Apartamentos antigos. Por que comprá-los? Ou não comprá-los?


São duas as características principais que nos apaixonam nos apartamentos antigos:

A primeira é a localização, pois com o crescimento das cidades e a densidade demográfica, os lançamentos de imóveis novos estão cada vez mais distantes dos centros das cidades e dos bairros tradicionais de onde muitas vezes não queremos sair.

A segunda é a amplitude desses imóveis antigos com dimensões amplas e agradáveis nos quartos, salão principal ou nas dependências de empregada. Isso sem falar no assoalho de tacos de imbuia ou hall todo em mármore. Os materiais de acabamento nos imóveis novos estão cada vez são mais comerciais e descartáveis!

Já escrevi sobre isso em outras oportunidades, mas nunca é demais repetir que, além dessas características, um dos fatores mais importantes de um imóvel é a qualidade do projeto arquitetônico do edifício porque, quando o projeto é bom, o edifício não envelhece. O bom projeto é absolutamente atemporal! Cito dois edifícios que num instante me recordo: o Copan, edifício de Oscar Niemeyer em São Paulo, e o Chopin, projetado pelo arquiteto francês Jacques Pilon no Rio de Janeiro, dois ícones da arquitetura brasileira!

Além dessas duas características, o preço, em geral, é bem inferior quando se trata de imóvel antigo.

Por que então não comprá-los para reforma? Sempre digo que o bom mesmo é quebrar apartamento velho, assim não se tem pena de por tudo abaixo.

O resultado dessa incursão, que pode se transformar numa confusão (caso você não saiba exatamente a dimensão de uma reforma desse porte), ou numa maravilhosa excursão pelo sonho do apartamento ideal.

Enfim, nosso escritório já realizou vários projetos de revitalização de apartamentos antigos e o resultado foi simplesmente surpreendente. Voilà!!!

Ana Padilha é arquiteta.